Oferta!

Antonio Bandeira | Abstrato | O.S.T | 48×35 cm | C.I.D | 1961

R$50.000.00 R$38.000.00

ANTONIO BANDEIRA – “Abstrato”
Técnica: O.S.T.C.P – óleo sobre tela colado sobre placa.
Medidas: 48 x 35 cm (obra)
Assinatura: C.I.D – canto inferior direito.
Data: 1961.
Moldura: Muito bem emoldurado.
Estado de conservação: Ótimo.
Certificado: Obra possui certificado/catalogada no Instituto Antonio “Selo IAB”.
Descrição/Detalhes: Raríssima obra em óleo sobre tela do artista, está assinada no canto inferior direito.
FRETE GRÁTIS – BRASIL*

1 em estoque

Quantidade:
Artista

Técnica

Assinatura

Data

Descrição/Detalhes

,

Dimensões

ANTONIO BANDEIRA – “Abstrato”
-Técnica: O.S.T.C.P – óleo sobre tela colado sobre placa.
-Medidas: 48 x 35 cm (obra)
-Assinatura: C.I.D – canto inferior direito.
-Data: 1961.
-Moldura: Muito bem emoldurado.
-Estado de conservação: Ótimo.
-Certificado: Obra possui certificado/catalogada no Instituto Antonio “Selo IAB”.
-Descrição/Detalhes: Maravilhosa obra em óleo sobre tela do artista, está assinada no canto inferior direito.
-FRETE GRÁTIS – BRASIL*

-BIOGRAFIA: Antonio Bandeira (BR, CE, Fortaleza – França, Paris, 1967)
Pintor, desenhista, gravador.
Inicia-se na pintura como autodidata. Em 1941, em Fortaleza, participa, ao lado de Mário Baratta (1915-1983), entre outros, da criação do Centro Cultural de Belas Artes – CCBA, que dá origem, em 1943, à Sociedade Cearense de Artes Plásticas – SCAP. Em 1945, transfere-se para o Rio de Janeiro e, no ano seguinte, realiza sua primeira exposição individual, no Instituto dos Arquitetos do Brasil – IAB/RJ. Contemplado pelo governo francês com bolsa de estudos, permanece em Paris de 1946 a 1950. Freqüenta a École Nationale Supérieure des Beaux-Arts [Escola Nacional Superior de Belas Artes] e a Académie de la Grande Chaumière, mas, em busca de uma arte não acadêmica, deixa essas instituições. Entre 1947 e 1948 participa de dois importantes eventos: o Salon d’Automne e o Salon d’Art Libre. Em Saint-Germain-des-Près toma parte em reuniões de artistas como Camille Bryen (1907 – 1977) e Bernard Quentin. Com Bryen e Wols (1913-1951), de quem se torna amigo, forma o Grupo Banbryols (ban de Bandeira; bry de Bryen; e ols de Wols), que dura de 1949 a 1951. De volta ao Brasil, em 1951, instala-se no ateliê do amigo escultor José Pedrosa (1915-2002), onde também trabalha o pintor Milton Dacosta (1915-1988) e apresenta-se na 1ª Bienal Internacional de São Paulo. Em 1952, cria um mural para o Instituto dos Arquitetos do Brasil – IAB/SP, em São Paulo. Retorna a Paris em 1954 em razão do Prêmio Fiat, obtido na 2ª Bienal Internacional de São Paulo, mas não deixa de expor no Brasil. Permanece na Europa até 1959, passando pela Inglaterra e Bélgica, onde, em 1958, realiza um painel para o Palais des Beaux-Arts. Ao retornar ao Brasil tem uma atividade artística intensa, participa de importantes exposições, em paralelo a mostras em Paris, Munique, Verona, Londres e Nova York. Em 1961, edita um álbum de poemas e litogravuras de sua autoria, e, no mesmo ano, João Siqueira realiza um curta-metragem sobre a obra do pintor. Volta a Paris em 1965, onde permanece até sua morte.

Fonte: ANTONIO Bandeira. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural.
tags: antonio bandeira, óleo sobre tela, certificado, instituto, galeria paulista